.posts recentes

. A lógica dos pipis e das ...

. That's what friends are f...

. (Re) Conhecer

. Ouvir o coração

. Tomar decisões com medo

. ...

. Homens esquizofrénicos, m...

. (Curto) Elogio à amizade

. Um ano em 25

. Desenhos animados

.arquivos

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Julho 2008

. Junho 2008

. Junho 2007

. Maio 2007

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

Sábado, 6 de Maio de 2006

Desabafos (in) convenientes

Já tinha reparado há muito tempo e não é a primeira vez que falo sobre isto. Qualquer pessoa gosta muito mais de nós quando estamos de bem com a vida. Ou, pelo menos, quando fingimos que estamos.

Todos temos altos e baixos nas nossas experiências pessoais e profissionais. É normal e compreensível. Há, até,  quem seja, por feitio, uma pessoa de altos e baixos. Como eu. Depois, há quem prefira "fechar-se em copas" e - está claro - é uma atitude a respeitar. E há quem - como eu, mais uma vez - desabafe em todas as direcções (amistosas e amigáveis) para poder (ou sentir que pode) espantar os males.

Valorizo os meus amigos tanto quanto a família. Às vezes (justa ou injustamente) até mais. Mas sinto que, quando despejo o que me vai na alma, repetindo-me, talvez, demasiadas vezes, nem sempre têm paciência para me ouvir.

Não me passa pela cabeça, em momento algum, pôr em causa a amizade de quem quer que seja. Felizmente, tenho bons amigos. E a quem atribuo este título, merece-o, de facto. Os outros são, apenas, colegas, conhecidos, quase estranhos. A alguns posso, até, chamar de "amigos", mas é uma palavra diferente, que não é sentida no coração nem me enche de orgulho.

Acho que esta atitude de recuo está relacionado com o instinto básico e normal do ser humano. Todos temos os nossos problemas e, por vezes, sem querer, ficamos ainda mais preocupados ou tristes com os problemas dos outros. E quem quer afogar-se em melancolia? Ninguém, claro está. Por isso, procuramos quem está sempre bem-disposto, quem tem piada, quem conta anedotas.

«Conta lá uma piada», diz o público ao comediante. «Conta lá uma piada», pedem os conhecidos à minha amiga, dotada de um extraordinário sentido de humor.

Talvez porque todos precisamos de ser animados, porque todos desejamos estar rodeados de um bom ambiente, se calhar também eu "despejo" os meus episódos menos bons para que me "contem uma piada". Enquanto partilho o que a minha vida tem de bom - e de menos bom - sobra menos tempo para pensar sozinha sobre tudo isso e perder demasiado tempo com divagações que só me prejudicam. Só espero não estar também a fazer perder o tempo dos meus amigos. Acho que não. Senão, por esta altura, já não tinha nem metade ;)

sinto-me:

publicado por IWonderWhy às 17:33

link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De vitor a 7 de Maio de 2006 às 00:05
"por esta altura, já não tinha nem metade ;)"

nem mais nem menos :)

e já que estás sempre lá para mim o contrário também é válido


De IWonderWhy a 7 de Maio de 2006 às 13:21
tão queridooooooooooo!!!! :))


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29
30
31


.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds